FERRAMENTAS DA QUALIDADE

QUALIDADE NAS EMPRESAS. CONHEÇA AS FERRAMENTAS CERTAS

Você sabe por quais motivos a empresa em que você trabalha existe?

Não custa lembrar um conceito geral muito utilizado para defini-la: Ela é uma organização que se destina a atender determinadas necessidades dos seres humanos. No caso, seus clientes.

Para que ela possa realizar sua missão precisa atuar com a máxima qualidade possível, isto é, atender com perfeição as necessidades dos clientes entregando o produto ou serviço dentro do prazo combinado e das especificações esperadas.

Sabendo disto fica mais fácil entender o que seu empregador espera de você.  Ele espera que você se engaje totalmente na causa em prol da qualidade na empresa, que em última análise é o que determina a sobrevivência de qualquer negócio.

Mas como você deverá agir para entrar o mais rápido possível em sintonia com os propósitos da empresa? O que você deverá fazer para satisfazer as expectativas a seu respeito e entregar um produto ou serviço com muito valor?

Utilize as ferramentas certas! Utilize as FERRAMENTAS DA QUALIDADE!

Sim! Elas existem e são relativamente simples de serem utilizadas. Consagradas na área de administração estão à disposição de todos nós.

Por ser uma tema muito rico, vasto e merecer adequada abordagem em profundidade, nossa intenção neste artigo é tão somente apresentá-las a você para que saiba que elas existem e possa então buscar por maiores informações através de leituras, cursos, etc, e quem sabe tornar-se até mesmo um expert no assunto. Oportunamente retomaremos este assunto com detalhes. Vamos a elas:

FLUXOGRAMA

fluxograma

É a representação gráfica de um processo que descreve passo a passo sua origem e seu fluxo. Demonstra de forma simples a sequência operacional de cada atividade realizada no trabalho de maneira que qualquer pessoa possa identificá-la rapidamente. É fundamental para a padronização em todas as áreas da empresa (administração, produção, manutenção, etc…).


BRAINSTORMING

brainstormig

Literalmente uma tempestade de idéias. É uma dinâmica de grupo realizada com o intuito de resolver determinados problemas a partir da estimulação do maior número de idéias que possam contribuir com a solução ideal.

O método requer o envolvimento do máximo de pessoas da equipe de trabalho e deve obedecer a uma regra básica: É expressamente proibido qualquer tipo de crítica às idéias apresentadas para não inibir o surgimento de novas durante as reuniões. Nenhuma ideia deve ser desprezada e todo o participante deve ter a liberdade para falar o que quiser.


DIAGRAMA DE CAUSA-EFEITO (ESPINHA DE PEIXE OU DIAGRAMA DE ISHIKAWA)

diagrama-causa-efeito

Esta ferramenta tem como propósito fazer as pessoas pensarem sobre as possíveis causas para a ocorrência de um problema (anomalia) que afeta o processo.

Leva em consideração que as causa dos problemas podem ser classificadas em seis tipos principais. Mão-de-obra, material, método, máquina, medida e meio ambiente. Idealizado pelo japonês Kaoru Ishikawa, sua forma lembra uma espinha de peixe.


DIAGRAMA DE PARETO

grafico-pareto

O diagrama é apresentado em barras e permite determinar aprioridade dos problemas a serem resolvidos. As frequências das ocorrências, dispostas da maior para a menor, permite a priorização dos problemas.

O princípio de Pareto diz que 80% das consequências vem de 20% das causas. Isto permite a identificação de pontos de melhoria e definição de planos de ação apropriados.


CICLO PDCA

pdca

É uma ferramenta que visa controlar e melhorar processos, tornando-os mais ágeis e precisos.

A ferramenta apresenta quatro fases:

P (plan – planejar): seleção de um processo, atividade ou máquina que necessite de melhoria, com medidas claras para obtenção de resultados.

D (do – fazer): implementação do plano elaborado e acompanhamento de seu progresso.

C (check – verificar): análise dos resultados obtidos na execução do plano e se necessário, avaliação do plano.

A (act – agir): caso tenha obtido sucesso, o novo processo é documentado e se transforma em um novo padrão.

Importante saber que ao final do ciclo ele pode ser reiniciado em busca de um novo patamar de qualidade. É a melhoria contínua dos processos. Saiba mais no post CICLO PDCA.


HISTOGRAMA.

histograma

É uma representação gráfica na qual um conjunto de dados é agrupado em classes uniformes, representado por um retângulo cuja base horizontal são as classes e seu intervalo, e a altura vertical representa a frequência com que os valores desta classe estão presente no conjunto de dados.

Os histogramas são usados para mostrar a frequência com que algo acontece. Por exemplo, em um caso onde fosse necessário mostrar de forma gráfica a distribuição de altura de estudantes de uma escola, uma das maneiras mais adequadas para isso seria fazê-lo por meio de um histograma.


FOLHA DE VERIFICAÇÃO OU CHECK-LIST

folha-de-verificacao

Considerada a mais simples das ferramentas, é uma maneira de organizar, coletar e analisar dados através de planilhas, tabelas ou quadros.

Utilizando a folha de verificação você economiza tempo, eliminando o trabalho de se desenhar figuras ou escrever números repetitivos, não comprometendo a análise dos dados.


SEIS SIGMA

seis-sigma

Pode ser definido como uma estratégia com foco nos resultados de qualidade com o objetivo de promover mudanças significativas na organização através da melhoria nos processos, produtos e serviços oferecidos aos clientes. O foco principal do Seis Sigma é a satisfação dos clientes através da redução de defeitos nos processos e excelente desempenho da empresa.


DIAGRAMA DE DISPERSÃO

grafico-dispersao

Também conhecido com gráfico de correlação, é utilizado para comprovar a relação entre uma causa e um efeito.

Diz respeito de uma representação gráfica de valores simultâneos de duas variáveis relacionadas a um mesmo processo, mostrando o que acontece com uma variável quando a outra se altera, ajudando desta forma a verificar a relação entre elas.


5W-2H

5w2h

Considerado um mapeamento das atividades que precisam ser desenvolvidas por parte dos colaboradores da empresa a ferramenta estabelece o que será feito, quem fará o quê, em qual período de tempo, em qual área da empresa e todos os motivos pelos quais esta atividade deve ser feita. Deverá constar na tabela a ser construída por você como será feita esta atividade e quanto custará aos cofres da empresa tal processo.

O nome desta ferramenta foi assim estabelecido por juntar as primeiras letras dos nomes (em inglês) das diretrizes utilizadas neste processo.

WHAT – O QUE SERÁ FEITO (ETAPAS)
WHY – POR QUE SERÁ FEITO (JUSTIFICATIVA)
WHERE – ONDE SERÁ FEITO (LOCAL)
WHEN – QUANDO SERÁ FEITO (TEMPO)
WHO – POR QUEM SERÁ FEITO (RESPONSABILIDADE)
HOW – COMO SERÁ FEITO (MÉTODO)
HOW MUCH – QUANTO CUSTARÁ FAZER (CUSTO)


5 S’s”                

5ss

Concebido a partir de uma ideia simples, o conceito de 5S possui como base as cinco palavras japonesas cujas iniciais formam o nome do programa. As palavras Seiri, Seiton, Seiso, Seiketsu e Shitsuke foram migradas para o Português e traduzidas como “sensos”, visando não descaracterizar a nomenclatura do programa. São eles: senso de utilização, senso de organização, senso de limpeza, senso de saúde e senso de autodisciplina. 

Gostou? Procure informar-se mais sobre o assunto! Saiba que quanto mais cedo familiarizar-se com as ferramentas da qualidade mais rápido colherá os frutos de seu engajamento nos propósitos da empresa e maiores serão suas chances de crescimento profissional.

Até breve!

Benhur Teixeira

Equipe Tête-à-Tête

Deixe uma resposta