TOMADA DE DECISÃO. LUÍZA CONTA SUA HISTÓRIA

A grande movimentação no corredor da universidade denunciava o horário do intervalo entre as aulas. Risadas e conversas cruzadas ultrapassavam os níveis de decibéis recomendados.

Ao soar da campainha os alunos do curso de administração começam a entrar na sala nº 302 localizada no terceiro piso do prédio.

-Por favor pessoal, silêncio! Silêncio!!! Precisamos retomar a aula! Ou preferem compensar o tempo perdido com um trabalho no final de semana? Que tal?

Fez-se um silêncio imediato na sala muito embora todos soubessem que as palavras da professora era uma retórica estratégica sempre utilizada nestas ocasiões.

-Vamos iniciar esta aula sobre Processo Decisório falando sobre a importância da tomada de decisão em grupo. Valo lá? Anotem então o seguinte:

1- Por vezes, um administrador acha necessário convocar um grupo de colaboradores para tomar uma decisão importante. Equipes de trabalho tomam decisões juntas constantemente.

2- Os administradores devem entender como os grupos e as equipes operam e como utilizá-los para melhorar a tomada de decisão.

3- A filosofia básica por trás da utilização de um grupo para tomar decisões é expressa pelo adágio popular “duas cabeças pensam melhor que uma”.

– Concordam com esta última afirmação, não é?

4- O líder de um grupo deve tentar minimizar os problemas relacionados ao processo. Ele deve evitar o domínio da discussão ou permitir que qualquer outra pessoa a domine.

 – Professora? A tomada de decisão em grupo é um processo exclusivo das empresas? Interrompe uma aluna sentada bem à frente na cadeira próxima à tela de projeção do texto.

– O processo de tomada de decisões é utilizado em todas as organizações. Os métodos é que podem variar. Mas até mesmo em nossa vida pessoal este processo está presente. Como exemplo podemos citar a organização familiar.

– A senhora poderia dar algum exemplo da aplicação desse processo na família?

– Ótima intervenção! Claro que posso! Isto é algo que acontece quase todos os dias em todos os lares. Nos seus e no meu!

– Vou dar um exemplo de uma importante tomada de decisão de grupo que aconteceu na minha própria família. Acredito que é um exemplo pertinente.

– Foi há aproximadamente dez anos. Na época eu ainda não trabalhava. Dedicava meu tempo integralmente aos cuidados da casa e de meu filho. Opção minha.

– Embora fizesse tudo com muito amor e dedicação sentia falta de retomar meus estudos, interrompidos quando casei. Era um sonho que nutria e que guardei comigo por anos sem nunca dizer nada a meu marido.

– Sonhava poder fazer exatamente o que faço hoje aqui. Dar aulas. Queria entrar no mercado de trabalho e contribuir com o orçamento da família, melhorando nossa situação financeira.

– Certo dia, ao retornar de uma viagem de trabalho, meu marido me convidou para jantarmos fora. Como de costume conversarmos sobre diversos assuntos, inclusive sobre minha vida.

Mário disse que queria apenas ouvir tudo o que eu tinha guardado até então e que nunca ousara lhe falar! Imaginem isto! Que maravilhoso! Neste momento tomei uma grande decisão. Revelei meus sonhos!

Ao final da conversa tomamos uma decisão conjunta. Agora uma decisão em grupo onde estavam envolvidos eu, meu marido e nosso filho. Eu retomaria meus estudos!

– Seu filho também estava envolvido? Por quê? Perguntou a aluna.

– Sim! Sendo a família um grupo, a decisão deve considerar todas as pessoas que fazem parte dele e que estarão sujeitas às possíveis consequências. E meu filho seria afetado pela mudança da nossa rotina, pois teria que ficar na casa dos avós enquanto eu estudava.

– Compreendo. Ele também seria impactado pela decisão de vocês.

– Perfeito! Decidimos naquele dia que eu me matricularia na universidade o mais rápido possível.

– E o que mais buscavam com esta tomada de decisão, além da realização de seu sonho?

– Tínhamos um problema que estava afetando de certa forma nosso casamento que eram as restrições de nosso orçamento. Resolvemos tomar uma decisão em grupo para resolvê-lo.

– Realizando seu sonho vocês criariam também as condições necessárias para iniciar uma mudança em suas vidas!!

– Exato! Ao decidimos pela realização de meu sonho,  me habilitei às oportunidades do mercado de trabalho e me qualifiquei para disputar espaços no mundo corporativo. Mantive o foco e nunca perdi de vista meu objetivo. Concluí a graduação e fiz mestrado.

-E o resultado valeu à pena?

-Foi uma realização pessoal e profissional. Estou aqui, não? Eis um exemplo de como o processo de tomada de decisão em grupo, dentro de uma família, pode solucionar um problema.

Luíza não escondia uma pontinha de orgulho por sua trajetória.

– Alcançamos a liberdade financeira e hoje temos uma vida muito confortável. Alguma pergunta a mais sobre a matéria? Não? Então vamos passar para o próximo ponto. Anotem aí.

Luiza estava confiante no lugar em que sempre desejou estar. Numa sala de aula em frente a uma turma e vivendo seu sonho. Ser professora. Luíza era uma mulher realizada.

E você? Já tomou a decisão que pode mudar sua vida?

Boa sorte! Até a próxima!

Equipe Tête-à-Tête.

Deixe uma resposta