TAYLORISMO (reinventando a indústria) – SAIBA MAIS

Taylorismo consiste num sistema de organização industrial desenvolvido por Frederick Taylor, economista e engenheiro mecânico estadunidense. O principal objetivo desta técnica é otimizar as tarefas desempenhadas nas empresas através da organização e divisão de funções dos trabalhadores.

Também conhecido como Administração Científica, o método desenvolvido por Taylor (1856 – 1915) foi criado no final do século XIX, e visa aumentar a eficiência operacional nas empresas.

As ideias básicas que fundamentam a teoria de Taylor foram publicadas no livro Princípios de Administração Pública, em 1911, onde apresentava o sistema da racionalização do trabalho – cada processo deste deveria ser estudado e desenvolvido como uma ciência.

A criação do taylorismo é fruto da Segunda Revolução Industrial, com o surgimento da energia elétrica, da substituição do ferro pelo aço, e do uso do petróleo no lugar do vapor como combustível.

O Taylorismo é baseado em cinco princípios básicos:

1 – A substituição de métodos baseados na experiência por metodologias cientificamente testadas;

2 – A seleção e treinamento dos trabalhadores de modo a descobrir suas melhores competências, as quais devem ser continuamente aperfeiçoadas;

3 – A supervisão contínua do trabalho;

4 – A execução das tarefas com base na disciplina e respeito, de modo a evitar desperdícios;

5 – O fracionamento do trabalho na linha de montagem.

Diferentemente dos sistemas de organização aplicados até então, o Taylorismo se diferencia por causa das funções mais especificas dos trabalhadores.

Outro diferencial deste modelo está na motivação positiva que a empresa dava aos funcionários, ou seja, quanto maior a produtividade da companhia, maior seria o salário do trabalhador. Até o século XIX, o medo era a principal “motivação” do trabalhador, que se empenhava com receio de ser demitido.

Características do Taylorismo

  • Alcance da máxima produção e rendimento, com o mínimo de tempo e esforço;
  • Divisão das tarefas de trabalho;
  • Trabalhador especializado;
  • Investimento em preparação e treinamento do trabalhador, de acordo com as aptidões apresentadas;
  • Prioriza a diminuição da fadiga dos funcionários;
  • Prioriza a melhoria das condições de trabalho dos funcionários;
  • Sistema de incentivos e recompensas salarias com o intuito de motivar os trabalhadores a potencializar a sua produtividade;
  • Aplicação de métodos de trabalho previamente testados, aprovados e planejados, dispensando assim o improviso.

Leia sobre o Fordismo no post “Fordismo – Saiba mais

Até breve!

Benhur Teixeira

Equipe Tête-à-Tête

 

Deixe uma resposta