Desenvolvido pelo matemático grego Hiparco na Grécia Antiga, o astrolábio é um instrumento utilizado para calcular a posição dos astros a partir de princípios geométricos.

Além da posição dos astros, o astrolábio era utilizado para calcular a altitude de objetos, a profundidade de poços e também para precisar as horas e as localizações geográficas.

A partir do século XV o astrolábio tornou-se um importante instrumento de navegação. Com ele, era possível determinar a latitude das embarcações e as direções em que deveriam navegar.

A palavra astrolábio deriva das palavras gregas “astron”, que significa estrela e “lambanein”, que significa pegar.

AstrolabioAstrolábio do século XI.

A origem do astrolábio

O primeiro astrolábio foi criado pelo matemático, astrônomo e geógrafo grego Hiparco de Nicéia (180 – 120 a.C) durante o período helenístico da Grécia Antiga.

Importante estudioso da matemática, Hiparco foi um dos criadores da trigonometria e foi quem descobriu a precessão dos equinócios e a possibilidade de dividir um círculo em 360°.

Baseado em diversas teorias matemáticas, Hiparco desenvolveu esse complexo instrumento que podia fazer cálculos semelhantes a um computador analógico.

A criação do astrolábio foi possibilitada pela descrição da projeção estereográfica por Hiparco. Essa projeção é um método que permite a transcrição de 3 coordenadas para um plano bidimensional.

A partir do século VIII, o astrolábio começou a ser utilizado no mundo islâmico e foi descoberto a partir da tradução de materiais escritos pelos gregos.

Os árabes utilizavam o astrolábio para navegações e também para determinar os horários das orações e a localização de Meca, direção para a qual devem se voltar quando rezam.

O árabes levaram o astrolábio para a Europa, onde o instrumento foi simplificado e aperfeiçoado com o objetivo de guiar as embarcações que saiam em busca de novas terras.

Esse novo astrolábio ficou conhecido como astrolábio náutico e foi desenvolvido pelo astrônomo Abraão Zacuto, em Portugal.

Diferente dos antigos astrolábios, que faziam diversos cálculos, esse novo instrumento tinha como único propósito determinar as localizações geográficas.

Esse instrumento contribui para a descoberta do caminho das índias e para a chegada dos portugueses ao Brasil.

Astrolábio náuticoAstrolábio náutico.

Para que serve o astrolábio?

O astrolábio utiliza o posicionamento dos astros no céu e princípios da trigonometria aplicada para fazer diversos cálculos. Entre as funções de um astrolábio, estão:

  • Precisar o posicionamento dos planetas e das estrelas;
  • Medir a altura de montanhas, edifícios ou a profundidade de poços;
  • Determinar as horas do dia e as estações do ano;
  • Determinar o posicionamento geográfico das embarcações.

Importância do astrolábio para a história da navegação

A expansão marítima se inicia no século XV com os ibéricos. Naquele momento, os únicos pontos de referência para os navegadores eram os astros, que eram utilizados como estrelas-guia.

O Sol, a Estrela Polar e o Cruzeiro do Sul, por exemplo, costumavam ser pontos importantes para a determinação de localizações geográficas em alto mar.

A medida que a navegação se desenvolve, são criados instrumentos e técnicas matemáticas e astronômicas para a localização das embarcações, definição de rotas e descoberta de novas terras.

O astrolábio, que foi levado à Europa pelos árabes, tornou-se uma importante ferramenta para as embarcações, pois permitia o cálculo das localizações a partir das estrelas e dos planetas.

Além dos astrolábios, os navegadores utilizavam bússolas, balhestilhas, compassos, tabelas de declinação do sol e estudavam matemática e astronomia.

Como funciona o astrolábio?

O astrolábio é feito em uma placa circular de metal onde estão sobrepostas várias lâminas circulares com diversas graduações, como por exemplo, horas do dia, graus, meses do ano e signos do zodíaco.

O astrolábio náutico é muito similar aos primeiros astrolábios, mas sua estrutura é mais simples e costuma ter recortes no interior da placa de metal.

No meio de sua estrutura está um ponteiro (mediclina) vinculado às placas circulares e na parte superior uma alça para que o astrolábio possa ser segurado de maneira suspensa.

Para utilizar o astrolábio, o observador aponta a régua central para o astro utilizado como referência e em seguida observa as graduações do instrumento.

A partir dessa observação e com base nos conhecimento de astronomia, os navegadores podiam precisar sua localização em alto mar e fazer o cálculo das rotas.

 

Astrolabio

 

Dentre os instrumentos atuais da navegação que substituem o astrolábio, podemos citar o conhecido GPS, e também equipamentos como sonares, radares, cartas náuticas e quadrantes. E há pessoas que ainda usam a bússola.


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête