Boleadeira é uma espécie de funda, uma arma muito utilizada pelo gaúcho para caçar nas grandes pradarias do pampa Riograndense, Uruguai e Argentina. É composta de bolas metálicas ou pedras arredondadas (bolas ou boleadoras em castelhano) amarradas entre si por cordas, tendo em cada uma das extremidades uma das bolas. Lançadas girando sobre si, elas vão ao encontro do alvo, geralmente as pernas de um animal quadrúpede, que leva um tombo na hora, ficando imobilizado.

A boleadeira é a herança que as tribos Guaranis que viviam nos pampas da região do Prata deixaram aos gaúchos. Entre todos os utensílios de caça e/ou armas utilizados pelos gaúchos, nenhum é mais característico e mais peculiar que a boleadeira.

Os espanhóis, e os europeus em geral, desconheciam totalmente o uso da boleadeira ao iniciar a conquista do continente americano. Ainda que as investigações arqueológicas permitam afirmar que o uso foi conhecido na Europa, Ásia e África, é evidente que isto aconteceu na pré-história (há mais ou menos 6 mil anos), posteriormente sendo esquecido. Na América do Norte e outras regiões da América correu algo parecido.

Porém os povos que mais utilizaram a boleadeira foram justamente os habitantes da região do Prata, por isso podemos afirmar que é o principal artefato primitivo usado pelos gaúchos para a caça e também como arma de guerra.

A boleadeira teve também fundamental importância nas tribos que utilizavam o cavalo como charruas, minuanos e aymarás. Isso porque facilitava muito na hora da caça e dos combates.

Porém engana-se quem acha que somente tem boleadeiras de 3 bolas para a caça e captura de animais. Eram utilizadas 3 tipos de boleadeiras, com 1, 2, e 3 bolas.

A de 1 bola, chamada de bola perdida, geralmente era uma bola um pouco maior, do tamanho de um punho e era lançada com o objetivo de atingir direto na cabeça para nocautear o alvo.

Já a boleadeira de 2 bolas, também conhecida por nhanduzeira, era utilizada principalmente na caça do nhandú (ema). Era jogada mirando as grandes patas do bicho com o objetivo de derrubá-lo e capturá-lo. 

Também foi usada nas guerras contra os conquistadores para derrubar os cavalos, se mostrando muito eficaz, pois geralmente o cavaleiro que tivesse seu cavalo derrubado estava fora de combate devido ao tombo violento.

E a boleadeira de 3 bolas, que é a mais conhecida e utilizada pelo gaúcho pampeano, foi adaptada a partir da nhanduzeira, pois ela permite uma trança mais eficaz e pode derrubar animais maiores. Foi muito utilizada na caça e captura do gado alçado (que fugiu) na época pós-missões.

Você sabia?


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête