Nato significa “nascer” ou “nascido”, enquanto inato possui duas acepções: “não nascido” ou “nascido com”, dependendo do contexto em que for utilizado.

Ambas as palavras são adjetivos na língua portuguesa e apresentam significados bastante semelhantes, mas com algumas diferenças sutis na semântica.

A palavra nato provém do latim natus, particípio do verbo nascor, que quer dizer “nascer”. Já a palavra inato foi originada também a partir do latim innatus.

Inato ainda pode ser utilizado no sentido de que determinada coisa não teve princípio, ao mesmo tempo que também pode significar “algo que nasceu com o indivíduo”.

Devido as diferentes acepções que ambas as palavras podem apresentar, dependendo do contexto em que estão inseridas, existe muita confusão e dúvida entre as pessoas sobre qual o uso correto de nato e inato.

Por norma, inato é usado frequentemente na descrição de algumas doenças ou faculdades pessoais, que já nasceram com o ser humano.

Utiliza-se nato quando dizemos algo como: “É um artista nato”, o que significa dizer que determinada pessoa “nasceu artista”, ou “brasileiro nato”, que significa que “nasceu brasileiro”.

Quando se diz que alguém possui “condições inatas”, significa que essa mesma pessoa nasceu com capacidades para desempenhar determinada atividade, por exemplo.

O melhor jeito de compreender a diferença entre estes termos é associar nato a “nascer”, e inato a “nascer com”.

Em suma, o nato qualifica de modo geral o ser vivo (que nasceu), enquanto que inato está relacionado com as condições ou características particulares que este ser possui (que nasceu com).

Exemplo: “Ele é um político nato” e “A política é inata ao rapaz”.

Os casos em que inato assume o significado de “não nascer” são menos comuns, mas podem acontecer em frases como “filho inato”, o que quer dizer “filho que não nasceu”.


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête