Essa epopeia alemã tem origem muito antiga e se transmitiu oralmente até ser recolhida, no século XIII, em diversos manuscritos. A canção dos Nibelungos descreve as aventuras do herói épico Siegfried e de sua esposa.

Além das características literárias que fazem dessa obra um exemplo genuíno da épica medieval, também são grandes os elementos próprios da literatura de cavalaria: há autênticos exemplos de refinamento cortês de damas e cavalheiros, de comportamento galante, de honra etc.

O poema é composto por 39 cantos e tem duas partes bem distintas: até o canto XIX, a narração gira em tomo de Siegfried e de seu assassinato; do canto XX ao final, Cremilda assume o papel de protagonista e realiza sua vingança.

O nome do poema é enganoso, já que remete a uma ação heroica de Siegfried que aconteceu antes dos fatos narrados no poema. Os Nibelungos são os filhos de um rei desse nome, a quem Siegfried derrota.

Resumo do livro

De forma muito resumida, a ação do poema é a seguinte: Siegfried e Cremilda são dois filhos de reis. Depois de muitas peripécias, conhecem-se e se casam. Por outro lado, o irmão mais velho de Cremilda o rei Gunter, deseja se casar com uma rainha chamada Brunilda caracterizada pela beleza pelo vigor físico e pela bravura Siegfried ajuda Gunter e lhe empresta seu manto mágico, com o que Gunter consegue seu propósito.

Em pouco tempo surge uma inimizade entre Brunilda e Cremilda, e a primeira decide vingar-se por meio de Hagen, um cavalheiro da corte de Gunter que deseja possuir o tesouro nibelungo de Siegfried. É isso que causa a traição, já que ele, por meio de Cremilda, descobre qual é o ponto fraco de Siegfried, cuja invencibilidade se atribui ao sangue de um dragão com o qual banhou seu corpo. Hagen mata Siegfried em um combate, arrebata o tesouro de Cremilda e o esconde.

A desconfiança de Hagen

A segunda parte acontece 13 anos depois desses acontecimentos. Átila, rei dos hunos, deseja se casar com Cremilda, que, querendo vingar-se dos assassinos de Siegfried, aceita. Cremilda vai ao reino de Átila, casa-se com ele e tem um filho. Passam-se outros 13 anos e a heroína pede a seu esposo que convide seu irmão, o rei Gunter, a ir à corte com seu séquito. Ele concorda, apesar das recomendações de Hagen.

Vingança de Cremilda

Gunter e Hagen partem acompanhados de mil guerreiros. Depois de uma longa viagem, chegam ao castelo de Átila. Logo na chegada, começam as escaramuças, no começo com pouca intensidade, mas depois de maneira generalizada. Primeiro morrem os cavaleiros menos importantes, e depois os de mais valor. Hagen assassina o filho de Cremilda e Átila.

No final, Gunter e Hagen terminam derrotados e presos. Cremilda exige que Hagen lhe diga onde está o tesouro de Siegfried e, diante da negativa do prisioneiro, o mata. O rei Átila reconhece o valor de seu inimigo Hagen, por isso repreende Cremilda pela morte dele: seu lamento é compartilhado com o cavalheiro Hildebrando, que decide vingar Hagen e mata Cremilda. Com esse sangrento desenlace, termina A canção dos Nibelungos.

Créditos: Paulo Magno da Costa Torres

Nota: A Canção do Nibelungos foi escrita em torno de 1200 por um poeta hoje desconhecido, por encomenda do então bispo de Passau, Wolfger von Erla. A saga consiste de 2.400 estrofes. O fundo histórico da epopeia é a vitória dos hunos sobre os burgúndios no ano de 436.


Até mais!

Equipe Tête-á-Tête