Quero voar
-mas saem da lama
garras de chão
que me prendem os tornozelos.

Quero morrer
-mas descem das nuvens
braços de angústia
que me seguram pelos cabelos.

E assim suspenso
no clamor da tempestade
como um saco de problemas
-tapo os olhos com as lágrimas
para não ver as algemas…

(Mas qualquer balouçar ao vento me parece Liberdade.)

José Gomes Ferreira (1900-1985)


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête