é o amor
O amor é o amor -e depois?!
Vamos ficar os dois
a imaginar, a imaginar?…

O meu peito contra o teu peito,
cortando o mar, cortando o ar.
Num leito
há todo o espaço para amar!

Na nossa carne estamos
sem destino, sem medo, sem pudor,
e trocamos -somos um? somos dois?-
espírito e calor!

O amor é o amor -e depois?!

Alexandre O’Neill (1924-1986) – Abandono Vigiado(1960)


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête