O pintor nasceu em 30 de março de 1853 em Zundert, uma pequena vila situada ao sul da Holanda.

O pai, Theodorus van Gogh, era um pastor calvinista – Vincent também tentaria seguir o caminho religioso do pai, porém sem ter sucesso.

A mãe, Anna Carbentus, era dona de casa e havia perdido um filho ainda bebê chamado Vincent. Com a nova gravidez, escolheu dar o nome do filho que havia perdido à nova criança que iria nascer. Coincidentemente Vincent nasceu no mesmo dia que o irmão, no ano a seguir.

Autorretrato Van Gogh
Autorretrato pintado por Van Gogh em 1889

Vincent abandonou a escola entre os 14 e 15 anos e arrumou o primeiro emprego na empresa do tio, que era marchand. Depois foi trabalhar em Londres lecionando numa escola dominical tentando ser pregador.

De volta à Holanda, tenta seguir teologia com muita dificuldade. Acaba por ficar com o cargo de pastor de uma pequena comunidade muito pobre na Bélgica. Depois de algum tempo no cargo, decidiu abandonar a comunidade para se dedicar à arte de forma integral.

Quando sinto uma terrível necessidade de religião, saio à noite para pintar as estrelas.

Van Gogh foi sustentado ao longo de toda a vida por Theo, seu irmão mais novo que foi um grande amigo e apoiador. Cartas trocadas entre os dois nos fornecem pistas de como teria sido a vida do pintor.

O artista, que viria a se tornar um dos maiores nomes do pós-impressionismo, teve uma vida curta. Van Gogh morreu com 37 anos (suspeita-se de suicídio) e produziu 900 quadros – tendo vendido apenas um em vida.


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête