(traduções de poemas sânscritos)


Que ficará das palavras que tantos escreveram sobre a terra? Às vezes, num velho mosteiro, aparece um rolo manuscrito e os poemas sânscritos são tão vivos, maliciosos, e ao mesmo tempo tão obedientes às fórmulas e às metáforas consagradas, como os poemas helenísticos da Antologia Palatina. Um mesmo espírito liga esses gregos romanizados aos hindus decadentes e fesceninos que tais versos escreveram no oitavo século já da nossa era. Os corpos reinam: próximos, confundem-se numa aproximação eterna de tão efémera e assumidamente mortal. Eram assim os deuses, dizes? Algum dia saberemos?

Lúis Filipe Castro Mendes (1950)


Antologia Palatina: também conhecida como a Antologia Grega, ou, em latim Anthologia Græca, é uma coleção de poemas, a maioria epigramas, escritos durante o períodos clássico e bizantino da literatura grega.

Fesceninos: diz-se de ou gênero de versos populares e licenciosos, muito cultivados entre os antigos romanos.


Até mais!

Tête-à-Tête