O homem, quando completa oitenta anos,

é jogado impiedosamente no outro lado da vida.

Com a maturidade adquirida existe um dilema,

encontra uma dubiedade na sua existência:

o que podia ter feito e que não fez, e o que fez e não podia ter feito.

E assim vai levando uma vida de reflexões.

Não há como negar a rejeição que encontra a todo momento,

seja pela sua aparência, ou pelo seu comportamento antiquado ou hostil.

Por conseguinte, ele entra na antítese da melhor idade.

Mas ele tem coração e pode sofrer muito, por um simples aperto de mão

ou por um olhar furtivo e insistente, que pode levá-lo a sonhar com uma aproximação,

e sentir um sopro de mocidade e felicidade. E até de amor.

Somente aqueles que se unem por amor encontram o caminho tão almejado da felicidade.

Faço votos que vocês o encontrem.

Dirceu de Oliveira Fischer (1927-2011)


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête