Assíndeto é uma figura de linguagem da língua portuguesa que classifica a junção de diferentes orações sem o uso de conectivos.

Neste caso, as orações que não possuem conectores são chamadas de assindéticas e, por norma, separadas por vírgulas ou outros sinais de pontuação.

Uma das justificativas para o uso deste recurso de construção linguística é a sua capacidade de dar maior ênfase as orações, fazendo com que o ouvinte esteja mais focado na ideia central de cada frase, garantindo maior expressividade a mensagem a ser transmitida.

Etimologicamente, a palavra assíndeto é originada a partir do grego asýndetos, que significa literalmente “não unir” ou “desunião”.

Exemplos de assíndetos

Eu tenho uma lista de coisas para fazer: estudar, trabalhar, visitar meus pais, ir ao ginásio, nunca mais chegarei cedo à casa.

Não posso sair; está nevando lá fora.

Chegou atrasado; não tem problema.

“Vim, vi, venci.” (Júlio César)

“Luciana, inquieta, subia à janela da cozinha, sondava os arredores, bradava com desespero, até ouvia duas notas estridentes, localizava o fugitivo, (…)” (Graciliano Ramos)


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête