Há muito tempo, quando os bichos falavam, vivia um casal na aldeia. A índia Tainá-racan era a mais bela de todas, enquanto seu esposo, Maluá, era um bravo guerreiro. Tainá-racan tinha um jacaré de estimação que era muito amigo. A única coisa que faltava era um filho que coroasse a sua felicidade. Tanto pediram que Cananxiué, o deus, atendeu suas preces.

Lenda do Pequi

O filho se chamou Uadi e se destacou pela sua inteligência e força. Mas algo intrigava a todos: seus cabelos eram louros. Maluá, para evitar as fofocas, explicou dizendo que Cananxiué era o verdadeiro pai.

Um dia, soam os gritos de guerra e quando Malauá foi se despedir de Uadi, este lhe comunica que também partiria em breve. Enquanto falava, uma arara vermelha pousou na árvore e pediu a criança. Era Cananxiué que vinha buscar o seu filho. Tainá-racan se desesperou e chorou três dias e três noites.

O jacaré, entristecido, pediu ao deus que devolvesse o menino. Cananxiué declarou que era impossível, mas em troca, uma árvore iria germinar com frutos doces e amarelos como os cabelos de Uadi. A cada floração os pais do menino iriam conceber uma criança que seriam os novos rebentos do casal. Foi assim que nasceu o pequizeiro, considerado até hoje um remédio poderoso para aqueles que desejam ter filhos.


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête