Masmorra é o nome dado às prisões localizadas no subterrâneo, principalmente de antigos castelos. São locais escurossombrios lúgubres.

As masmorras eram comuns em castelos medievais, onde ficavam retidos os prisioneiros por longos períodos de tempo, às vezes, até a sua morte. Foram largamente utilizadas durante toda a Idade Média, principalmente na Europa.

Essas prisões subterrâneas eram insalubres e totalmente abrigadas da luz solar. Na maioria das vezes, os prisioneiros não eram sequer alimentados ou tinham o direito de deitar ou sentar, sendo amarrados em pé por correntes.

Atualmente, as masmorras permanecem ativas na literatura, no cinema e nas artes plásticas em geral como cenários para narrativas ficcionais ou baseadas em fatos históricos.

No entanto, talvez seja a indústria dos vídeo games que mais explora as masmorras na atualidade, como cenários-base para vários tipos de enredos de jogos, onde o jogador tem a oportunidade de interagir com o ambiente e conhecer melhor como era o aspecto das antigas masmorras medievais.

No Brasil, de acordo com o artigo 240 do Código de Processo Penal Militar, as masmorras são proibidas como espaço destinado ao aprisionamento de pessoas.

“Art. 240. A prisão deve ser em local limpo e arejado, onde o detento possa repousar durante a noite, sendo proibido o seu recolhimento a masmorra, solitária ou cela onde não penetre a luz do dia. Respeito à integridade do preso e assistência” (Lei nº 1.002, 21 de outubro de 1969).


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête