Considerado o pioneiro do Naturalismo (movimento literário da segunda metade do século XIX) no Brasil, o romancista Aluísio Azevedo foi um importante romancista brasileiro. Trabalhou também como jornalista, diplomata e caricaturista. Suas obras mais importantes são: O mulatoO cortiço e Casa de Pensão.


Biografia resumida

Aluísio Azevedo nasceu na cidade de São Luís, Maranhão, em 14 de abril de 1857.

Quando jovem ele fazia caricaturas e poesias, como colaborador, para jornais e revistas no Rio de Janeiro. Seu primeiro romance publicado foi: Uma lágrima de mulher, em 1880. 

Fundador da cadeira número quatro da Academia Brasileira de Letras e crítico social, este escritor naturalista foi autor de diversos livros, entre eles estão: O Mulato, que provocou escândalo na época de seu lançamento, Casa de Pensão, que o consagrou e O Cortiço, conhecido com sua obra mais importante. 

Este autor, que não escondia seu inconformismo com a sociedade brasileira e com suas regras, escreveu ainda outros títulos: Condessa VésperGirândola de AmoresFilomena BorgesO CorujaO Homem, O Esqueleto, A Mortalha de AlziraO livro de uma Sogra e Demônios.

Durante grande parte de sua vida, Aluísio de Azevedo viveu daquilo que ganhava como escritor, mas ao entrar para a vida diplomática ele abandonou a produção literária. 

Faleceu em Buenos Aires (Argentina), aos 56 anos, no dia 21 de janeiro de 1913.


Exemplos de frases:

– “Infeliz daquele a quem não é dado chorar; só o choro afoga a dor que a vontade não vence destruir”.

– “Confio nos meus dentes, e esses mesmo me mordem a língua”.

Capa do livro O Cortiço de Aluísio Azevedo
Capa do romance naturalista O Cortiço de Aluísio Azevedo. Publicada em 1890, é uma das principais obras do autor.

Principais obras do escritor:

– Uma Lágrima de Mulher, novela, 1880 

– O mulato, novela, 1881 

– Mistério da Tijuca ou Girândola de amores, novela, 1882 

– Memórias de Um Condenado ou Condessa Vesper, novela, 1882 

– Casa de pensão, novela, 1884 

– Filomena Borges, novela, 1884 

– O homem, novela, 1887 

– O cortiço, novela, 1890 

 O coruja, novela, 1890 

– A Mortalha de Alzira, novela, 1894 

 Demônios, conto, 1895 

– O livro de uma sogra, novela, 1895 

– O Bom Negro, crônica 

– O Esqueleto, (participação de  Olavo Bilac). 

 Os Doidos, peça 

– Casa de Orates, peça 

– Flor de Lis, peça 

– Em Flagrante, peça 

– Caboclo, peça 

– Um Caso de Adultério, peça 

– Venenos que Curam, peça 

– República, peça 


Créditos: Elaine Barbosa de Souza – Graduada em Letras (Português e Inglês) pela FMU.


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête