Conhecido popularmente e artisticamente como Carybé, foi um importante artista plástico (pintor, gravador, escultor, ceramista, ilustrador e desenhista) argentino, naturalizado brasileiro.


Biografia resumida

Nasceu na cidade argentina de Lanús em 7 de fevereiro de 1911.

Carybé fez ilustrações para livros de escritores famosos. Ilustrou a capa de livros do escritor baiano Jorge Amado e também do livro Cem Anos de Solidão de Gabriel Garcia Márquez. A ilustração do livro Macunaíma, de Mario de Andrade, também foi feita por Carybé.

No ano de 1946, casou-se com a argentina Nancy Bernabó.

Em 1947, Carybé trabalhou no jornal Diário Carioca, do Rio de Janeiro. Entre 1949 e 1950, trabalho no jornal Tribuna da Imprensa.

Uma de suas obras mais conhecidas é o conjunto de painéis “Os povos afros”, os “Ibéricos” e “Libertadores” de 1988. Estas obras fazem parte da decoração do mural do Memorial da América Latina, situado no bairro da Barra Funda (cidade de São Paulo). Fez também murais para o Aeroporto Internacional de Miami

Carybé também atuou na área pública, assumindo o cargo de secretário da educação do estado da Bahia.

Faleceu em Salvador (Bahia), aos 86 anos, em 2 de outubro de 1997.

Mural de Caribé em Buenos Aires
Mural de Carybé em Buenos Aires

Principais características do seu estilo artístico:

Apaixonado pela Bahia, Carybé tornou-se conhecido com suas obras que valorizavam a cultura baiana, os rituais afro-brasileiros, a capoeira, as belezas naturais e arquitetônicas da Bahia.


Principais obras de Carybé:

– Bahia – óleo sobre tela de 1939

– São Jorge – nanquim de 1956

– Baianas – óleo sobre madeira de 1957

– Cidade Baixa – nanquim sobre papel de 1964

– Feira – nanquim sobre papel de 1964

– Nu sentado – óleo sobre tela de 1965

Cabaré – óleo sobre tela de 1966

Capoeira – crayon sobre papel de 1974

– Cangaceiros – vinil sobre cartão colado em eucatex de 1987

– Murais do Memorial da América Latina – 1988

Jogos – vinil encerado de 1990

Os Conjurados – vinil encerado de 1995

Bahia, pintura de Carybé
Bahia (1939): obra de Carybé.

Créditos: Jefferson Evandro Machado Ramos – Graduado em História pela Universidade de São Paulo


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête