Jean le Rond d’Alembert foi um matemático, físico, escritor e filósofo iluminista francês do século XVIII. Foi um dos enciclopedistas que trabalhou na primeira Enciclopédia da Europa. É considerado também um dos principais representantes do Iluminismo.


Biografia resumida

– Jean le Rond d’Alembert nasceu em 16 de novembro de 1717, na cidade de Paris (França).

– Logo após seu nascimento foi abandonado na escadaria da igreja de Notre-Dame de Paris. Um casal simples (o homem era um vidraceiro) o encontrou e o criou.

– Entre 1735 e 1738 cursou Direito e formou-se advogado. Também estudou Teologia. Porém, seus maiores interesses eram a Física e a Matemática, áreas que passou a dedicar seus estudos.

– Em 1741 entrou para o Colégio de Ciências. Neste mesmo ano fez um brilhante trabalho sobre Cálculo Integral.

– Em 1743 publicou o Tratado da Dinâmica.

– No começo da década de 1750 entrou para a Academia Francesa.

– Durante grande parte de sua vida, como cientista, fez vários trabalhos relacionados à Astronomia e à Matemática.

– Entre os anos de 1751 e 1772, d’Alembert junto com Denis Diderot (filósofo e escritor francês) produziram a Encyclopédie (“Enciclopédia, ou dicionário racional das ciências, artes e profissões”), que possuía 17 volumes de textos, 11 de ilustrações e quase 72 mil artigos.

– Faleceu em 29 de outubro de 1783, aos 65 anos, na cidade de Paris.


Principais obras:

– Tratado de Dinâmica (1743)

 Enciclopédia, ou dicionário racional das ciências, artes e profissões (1772, ano da publicação dos últimos volumes).

– Pesquisa em cordas vibrantes (1747)

– Tratado do equilíbrio e movimentos dos fluídos (1743)

– Ensaio de uma nova teoria da resistência dos fluidos (1752)

– Ensaio Sobre os Elementos de Filosofia (1759)

– Reflexões sobre a História (1761)

Retrato pintado de Jean Le Rond d'Alembert
Jean Le Rond d’Alembert (pintura de Maurice Quentin de La Tour)

Curiosidades:

– Assim como muitos filósofos iluministas, d’Alembert era ateu.

– D’Alembert chegou a conhecer sua mãe biológica, porém não teve relação com ela e sempre considerou a mulher que o adotou como sua verdadeira mãe.

– Existe uma cratera da Lua que foi batizada em homenagem a d”Alembert.


Exemplos de Frases:

– “A morte é um bem para todos os homens. É como a noite de um dia inquieto, de um dia que se chama vida.”

– “A simplicidade é a consequência natural da elevação dos sentimentos”.

– “A guerra é a arte de destruir homens, a política é a arte de enganá-los”.

Ilustração da Enciclopédia de D'Alembert e Diderot
Ilustração da Enciclopédia de D’Alembert e Diderot (ilustração da folha de rosto).

Créditos:Jefferson Evandro Machado Ramos-Graduado em História pela Universidade de São Paulo – USP


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête