“Os personagens de Maupassant, sejam camponeses astutos ou bon-vivants de cartola e bengala, são criaturas primitivas: vítimas do Fado que os manobra, como se são bonecos, pelo fio dos instintos cegos. Lembram os habitantes do segundo círculo do Inferno de Dante, os voluptuosos…O Colar , que estudou anos a fio para poder restituir um colar precioso, pegou emprestado para uma festa e infelizmente perdido no caminho; e só no fim da vida saberão que o colar era falso. A vida é mesmo uma falsificação.

A vida de Maupassant era uma mesma falsificação: do duvidoso ‘de’, aristocrático, no seu nome até a elegância a prestações e à custa de trabalhos para as revistas ilustradas, até o cérebro se esvaziar. A falsidade da vida perseguiu-o nos escritórios do Ministério da Marinha, nos cafés dos boulevards , na ópera e nos bordéis; acompanhou-o para fora de Paris, aos exercícios de remo no Sena, rio para baixo, vida para baixo, até a costa do Mediterrâneo que para uma nostalgia da sua vida de elegante , a côte d’azur : ‘Meu pequeno barco, meu querido pequeno barco, todo branco com uma listra azul ao longo do casco, docemente indo sobre o mar calmo, calmo, adormecido… ‘, o barco que o levou’ docemente ‘à loucura e à morte.

Mas é esquisito: a releitura de Maupassant não necessariamente dá essa impressão de desastre e desespero que desviar sugeria. Certos padrões contemporâneos já se equivocaram falando da impressão de ‘sanidade’ e ‘frescura natural’ que sugeriram os contos de Maupassant. Há, nesse naturalista de 1880, certa irrealidade – talvez por isto: as ‘aventuras’ de outrora já não nos parece aventuras; aquela rotina de encontros, embrulhadas e soluções fáceis correspondia a um mundo mais estável do que o nosso mundo atual. As reviravoltas mais surpreendentes de Maupassant não alteram o fundo permanente da pura vida de então, mundo sem guerra, sem revolução e inflações. Impressão falsa, está certo, idílica, mas que basta para transfigurar a fealdade burguesa e pequeno-burguesa de 1880 em beleza poética,

– Otto Maria Carpeaux (trecho adaptado)

Fonte:ottocarpeaux.medium


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête