Rugero nasceu entre 1060 e 1070, na cidade de Cane, na Itália. Ele era um homem respeitado e trabalhador, bom, caridoso e muito penitente. Com a morte do bispo de Cane, os fiéis escolheram Rugero para ficar no lugar de pastor. Deste modo, aos 30 anos de idade, Rugero foi consagrado bispo de Cane. Porém, vivia-se um clima não favorável, pós-guerra.

A missão do bispo Rugero era muito difícil. Ele tinha de tratar da sobrevivência da população flagelada pelas epidemias do pós-guerra, assim sendo, transformou sua sede episcopal em hospedaria que ficava aberta dia e noite, abrigando viúvas, peregrinos e viajantes.

Rugero tinha o dom da cura, era incansável, andava por todos os cantos, descalço, dando socorro a todos. De caridade impressionante, Rugero doava tudo o que fosse possível, sua carruagem, por exemplo, para socorrer doentes e transportar vítimas. A Igreja vivia um momento muito conturbado, com religiosos corruptos e os que viviam em santidade. Rugero vivia sua missão com o lema “Tudo para todos”. Era grande conselheiro e sábio, sendo admirado por dois Papas, Pascoal II e Celásio II.

São Rugero morreu no dia 30 de dezembro de 1129, em Cane. Pelos prodígios que aconteciam com as suas orações, Rugero já em vida era considerado taumaturgo. Depois de sua morte, os devotos divulgaram a sua santidade. E, em 1946, São Rugero foi canonizado pela Igreja.

Fonte:senhoradasgracas


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête