Te amo de uma maneira inexplicável,
de uma forma inconfessável,
de um modo contraditório.
Te amo, com meus estados de ânimo que são muitos
e mudar de humor continuadamente
pelo que você já sabe
o tempo,
a vida,
a morte.
Te amo, com o mundo que não entendo
com as pessoas que não compreendem
com a ambivalência de minha alma
com a incoerência dos meus atos
com a fatalidade do destino
com a conspiração do desejo
com a ambigüidade dos fatos
ainda quando digo que não te amo, te amo
até quando te engano, não te engano
no fundo levo a cabo um plano
para amar-te melhor


Nos versos iniciais do longo poema Te amo assistimos o poeta descrever o sentimento arrebatador provocado pela amada.

Apesar de ser árdua a tarefa, ele tenta narrar a complexidade da estima que sente.

Mais do que falar dela, se debruça sobre as particularidades do sentimento e se mostra encantado com a capacidade aparentemente infinita de amar.

Até quando diz que não ama, o sujeito poético confessa que, na verdade, trata-se de uma estratégia para afinal amar mais e melhor.

Pablo Neruda (1904-1973)

Fonte:culturagenial


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête