A arte povera teve como berço a Itália e surgiu em meados da tumultuosa década de 1960. 

Considerada uma das correntes de vanguarda mais importantes e influentes do século XX, essa arte espelhou os anseios e toda a negação da cultura vigente, atuando e se expressando de forma fundamental na contracultura, um movimento múltiplo que explodiu em diversos países durante a década de 1960 e que buscava negar padrões culturais e quebrar tabus da sociedade da época. 

Para saber, em detalhes, o que é arte povera, conhecer suas características, exemplos e principais artistas, basta ler este post até o fim. 


O QUE É ARTE POVERA?

Arte povera significa “arte pobre”. Esse termo foi criado em 1967 por Germano Celant, um historiador, curador e crítico de arte italiano. 

Nesse ano, ele desenvolveu um manifesto que questionava a industrialização, a cultura em massa e que promovia uma arte mais simples e humanizada. 

Vale destacar que a arte povera nasceu em um momento em que a pop art ganhava grande projeção nos Estados Unidos. Dessa forma, ela também criticou o caráter pouco conceitual dessa corrente liderada por Andy Warhol, assim como buscou debater sobre o modernismo e a arte minimalista. 

Essa expressão foi criada e logo propagada e abraçada em diversas esferas artísticas, principalmente pela pintura, escultura e performance. 

Seu conceito e proposta tinham como fundamentos propor o empobrecimento da arte para, assim, jogar uma luz sobre a efemeridade das produções artísticas. 

Na verdade, o empobrecimento da arte nada mais era do que uma crítica fervorosa ao empobrecimento da sociedade, a qual, segundo seus representantes, era guiada pelo capitalismo e não se importava nem com a acentuação da desigualdade social, nem com questões ecológicas e sustentáveis. 


QUAIS SÃO AS CARACTERÍSTICAS DA ARTE POVERA?

As características da arte povera são:

  • o uso de elementos e materiais orgânicos como corda, folhas de árvores, trapos, sucatas, terra, jornais e, até mesmo, comida e excrementos; 
  • a crítica às galerias e à comercialização da arte;
  • a valorização de temas relacionadas ao cotidiano e à natureza;
  • o prestígio da espontaneidade, da originalidade e da brevidade;
  • o enaltecimento do contraste entre o velho e o novo. 
  • uma linguagem que se parecia em muitos momentos com a da arte surrealista e dadaísta, uma vez que valorizava o absurdo e o irreal.

QUAIS FORAM OS PRINCIPAIS ARTISTAS DA ARTE POVERA?

Os principais artistas da arte povera foram em sua maioria italianos. Dentre os grandes representantes, podemos citar:

  • Giovanni Anselmo: escultor italiano e um dos pioneiros do movimento. Em suas obras, ele utilizava constantemente terra, madeira e pele de animal. 
  • Piero Manzoni:  artista plástico italiano e um dos mais polêmicos representantes da arte conceitual;
  • Mario Merz: artista italiano que considerava o conceito mais importante do que a obra e que ficou bastante conhecido por seus “iglus”;
  • Lucio Fontana: escultor e pintor argentino que integrou a corrente e produziu diversos trabalhos com materiais orgânicos;
  • Jannis Kounellis: artista grego bastante famoso por suas instalações que apresentavam vegetais e animais;
  • Michelangelo Pistoletto: um dos grandes protagonistas da arte povera italiana, conhecido por utilizar trapos e outros elementos comuns dessa corrente tanto em suas pinturas, como em suas performances e esculturas;
  • Luciano Fabro: artista plástico italiano conhecido por suas esculturas de instalações que mesclavam natureza, arte e mitologia. 
  • Iole de Freitas: artista brasileira com papel de destaque na arte contemporânea e que utiliza a água, a madeira, a pedra em seus trabalhos. 

EXEMPLOS DE ARTE POVERA: ENTRE QUESTIONAMENTOS E ABSURDOS 

MERDA D’ ARTISTA (1961) – PIERO MANZONI

Essa obra consistia em 90 latas de fezes e buscou questionar o valor da arte ao propor a sua venda a elevados preços. Esse projeto foi fundamental para história da arte pois ele deu uma nova dimensão a ela ao promover que o conceito por trás da obra era mais importante que a peça em si, a técnica e o próprio talento do artista. 

Arte povera: o que é + características + exemplos + artistas

Crédito: Wikipédia 


FLOOR TAUTOLOGY (1967) – LUCIANO FABRO 

Formada por uma área de piso polido demarcada e coberta por jornais com o objetivo de manter o chão limpo e de protegê-lo de arranhões, essa obra teve como objetivo questionar o conceito da limpeza e provocar os espectadores para não sujá-lo. 

Arte povera: o que é + características + exemplos + artistas

Crédito: Ciiand 


ESTRUTURA ALIMENTAR (1968) – GIOVANNI ANSELMO

Essa obra feita em escultura compreendia um bloco de granito preso a um maior semelhante a um pedestal e no meio um alce. 

Com a deterioração do vegetal, a escultura entrava em colapso e, assim, não mais existia, o que mostra brevidade de uma peça, uma das características mais importantes desse movimento. 

Arte povera: o que é + características + exemplos + artistas

Crédito: Pinterest 

Fonte:laart.art


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête