Para muitos artistas, o lápis é a principal ferramenta para criar os mais diversos trabalhos artísticos. Dessa forma, durante o processo de criação é essencial apontar o lápis de maneira correta para garantir traços mais firmes e precisos.

Pensando nisso, reunimos algumas dicas de como apontar o lápis com diferentes ferramentas, desde o apontador manual até lixas e estiletes. 


Apontador comum

Tradicionalmente utilizado nas escolas, o apontador comum é manual, portátil e pode ser encontrado com ou sem recipiente para armazenamento de resíduos.

As principais vantagens deste modelo de apontador são o seu baixo preço e facilidade de uso. No entanto, é importante ter atenção ao apontar para não deixar o grafite irregular.

Utilizar o apontador comum é muito simples: basta colocar o lápis no furo do dispositivo e girar várias vezes até afiar a ponta. É importante manter o lápis reto para evitar o excesso de pressão e a quebra da ponta.

Para conferir se a lâmina do apontador está em boas condições, é importante analisar a madeira em torno do grafite. 

Isso porque um apontador afiado deixa a madeira uniforme. Já um apontador com lâmina cega deixa a madeira irregular e com farpas.


Apontador de manivela

Como o nome sugere, o apontador de manivela é um dispositivo mecânico, que aponta o lápis assim que a manivela é girada em sentido horário. 

Para ter o melhor resultado com este tipo de apontador, a dica é inserir o lápis no furo do dispositivo e empurrar de forma leve enquanto movimenta a manivela.


Apontador elétrico

O apontador de lápis elétrico é um dispositivo de fácil manuseio e de maior precisão, deixando a ponta do lápis mais afiada e, se utilizado corretamente, com uma linha bem definida. No entanto, é preciso ter atenção durante o uso para evitar que o acabamento fique irregular. 

O primeiro passo antes de utilizar o apontador elétrico é conferir se a ponta do grafite está centralizada, caso contrário, a extremidade não terá o formato cônico normal. 

Após apontar o lápis, vale utilizar um pano seco para limpar os resíduos do grafite. 


Estilete 

Para muitas pessoas, o estilete é considerado a melhor ferramenta para apontar lápis. Isso porque a lâmina é capaz de deixar a ponta fina o bastante para fazer detalhes com maior precisão. 

Para apontar o lápis com estilete é preciso começar com uma pequena incisão na madeira, na extremidade do lápis. Com muito cuidado, deve-se empurrar a lâmina do estilete com a ajuda do dedão no sentido da ponta. Este movimento vai removendo aos poucos as lascas da madeira, sem exigir muito esforço.

O lápis estará pronto para uso quando cerca de um centímetro do grafite estiver exposto na extremidade. 


Papel lixa

O papel lixa é uma boa opção para afiar a ponta do lápis quando o grafite estiver muito desgastado e “arredondado”. 

Para isso, basta pressionar toda a lateral da ponta do lápis na lixa, fazendo movimentos para cima e para baixo até deixar o grafite afiado. Este tipo de ponta é ideal para fazer detalhes e fios. 

Já o lápis utilizado para fazer texturas e manchas deve ser lixado de forma que a ponta fique chanfrada.


Dica extra

Agora que você já conheceu diferentes maneiras de apontar o lápis, anote uma dica super criativa para preservar a ponta por mais tempo, evitando que ela se quebre durante a armazenagem dos seus materiais artísticos. 

Corte uma mangueira plástica transparente — ou mangueira cristal — em pequenos pedaços e coloque-os na ponta do lápis, como uma espécie de tampa de proteção para evitar que o grafite se quebre ao guardar o lápis ou deixá-lo sobre a mesa.

E aí, qual o seu jeito preferido de apontar o lápis? 

Se você gostou da matéria comente e compartilhe!

Fonte:bloggrafittiartes


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête