“Há momentos em que, mesmo aos olhos serenos da razão, o mundo de nossa triste Humanidade pode assumir o aspecto de um inferno, mas a imaginação do homem não é Carathis para explorar impunemente todas as suas cavernas. Ah! A horrenda região dos terrores sepulcrais não pode ser olhada de modo tão completamente fantástico, mas, como os Demônios em cuja companhia Afrasiab fez sua viagem até o Oxus, eles devem dormir ou nos devorarão, devem ser mergulhados no sono ou nós pereceremos.”

Assim como em o Demônio da Perversidade, temos neste conto mais trechos teóricos do que narrativos, o que torna o conto altamente psicológico. A narrativa mostra a paranoia de seu protagonista de ser enterrado vivo e, neste trecho de encerramento, o autor conclui, de forma sucinta e bem elaborada, como transtornos mentais, emocionais, como o temor de ser enterrado vivo do protagonista, ou a região dos terrores sepulcrais, como Poe se refere, existem e mesmo racionalizando-os, é difícil escapar destes, porém, se por demais cultivados, podem destruir um ser humano.

Fonte:notaterapia


Gostou? Comente e compartilhe!

Até mais!

Equipe Tête-à-Tête