Cenas da Paixão de Cristo, também designada por Paixão de Turim, é uma pintura do pintor primitivo flamengo de origem alemã Hans Memling.

Realizada cerca de 1470 sobre um painel de carvalho do Báltico, esta pintura representa 23 episódios da Vida de Cristo combinados numa única composição narrativa sem que exista uma cena central dominante: 19 episódios mostram a Paixão de Cristo, um a Ressurreição, e três episódios a aparição de Cristo ressuscitado (a Maria Madalena, no caminho para Emaús e em frente ao mar da Galiléia).

Renascimento nórdico – 56,7 x 92,2 cm – Sabauda Gallery, Turin, Italy

A realização desta obra foi encomendada por Tommaso Portinari, um banqueiro italiano que vivia em Bruges, que está representado – como era frequentemente o caso dos doadores – ajoelhado e orando no canto inferior esquerdo do quadro, estando a sua esposa, Maria Baroncelli, pintada no canto inferior direito (Memling pintou em díptico o Retrato destas duas personagens conforme imagem seguinte).

O quadro é relativamente pequeno, medindo 56,7 x 92,2 cm, e provavelmente não terá feito parte de um políptico. Poderá ter sido encomendado para a capela privada da família Portinari na Igreja de S. Jacob, em Bruges. Não figurava no inventário dos bens de Portinari à data da sua morte, em 1501, e provavelmente foi transferida de Bruges para Florença entre 1510 e 1520. Aparece pela primeira vez na colecção de Cosimo I de Médici, em Florença, em 1550, estando actualmente em exposição na Galeria Sabauda em Turim.

As Cenas da Paixão leem-se segundo uma ordem precisa. Começam no canto superior esquerdo do quadro com a entrada de Jesus em Jerusalém pela Porta Dourada no Domingo de Ramos, atravessa, em seguida, a cidade e emerge no Jardim do Getsêmani (canto inferior esquerdo), sendo as cenas da Paixão representadas no centro da cidade (Pilatos, a Flagelação de Cristo, a Coroa de espinhos, o Ecce Homo), depois o caminho do Calvário que começa à saída da cidade, no canto inferior direito, e sobe para a cena da crucificação. A sequência das cenas termina com a aparição de Jesus na estrada para Emaús e no Mar da Galiléia no canto superior direito. O Caminho da Cruz representada no quadro tem sete das quatorze estações tradicionais do caminho da cruz, inserindo o pintor em seu lugar outras cenas. As sete estações que não estão no quadro são: Jesus recebe a cruz, Jesus cai duas vezes carregando a cruz, Jesus encontra sua Mãe, Verónica enxuga o rosto de Jesus, Jesus encontra as mulheres de Jerusalém, e Jesus despojado de suas vestes.

As cenas ocorrem dentro e em torno de uma Jerusalém idealizada, pintada como uma cidade medieval fortificada com torres exóticas encimadas por cúpulas.

O ponto de vista elevado adoptado pelo artista permite ver o Calvário ao fundo para além da cidade. Excepcionalmente para as pinturas deste período, a iluminação da pintura é interna, proveniente do sol nascente à direita, sendo coerente em toda a pintura, com as áreas iluminadas à direita e as zonas na obscuridade à esquerda.

Fonte:wikiart


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête