Deixa-me ser a tua amiga, Amor;
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor
A mais triste de todas as mulheres.

O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for
Bendito sejas tu por mo dizeres!

Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho…

Guardar assim, fechados, nestas mãos,
Os beijos que sonhei pra minha boca!…

Florbela Espanca (1894-1930)


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête