Em uma série de obras totalmente abstratas do início dos anos 1990, Richter desafia o olho do observador a detectar qualquer coisa no campo de visão que não seja os elementos puros de sua arte: cor, gesto, camadas de materiais pastosos e o aspecto impessoal do artista a juntar essas misturas de várias maneiras que permitem que combinações aleatórias surjam da superfície.

1994 – Expressionismo abstrato – Tate Modern – 225 x 220 cm


Richter sugere apenas um espaço raso semelhante ao de um espelho. O espectador é finalmente persuadido a deixar de lado todas as buscas por “conteúdo” que possam se originar fora desses parâmetros estreitos e encontrar satisfação na beleza do objeto em si, como se estivesse saboreando um tecido fino. Assim, apreciamos as numerosas cores e transições que ocorrem nesta pintura, muitas tendo sido criadas fora do controle total do artista, tanto quanto a natureza muitas vezes cria maravilhosos prazeres ópticos em parte por design e em parte por acidente.

Fonte:wikiart


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête