Este judeu sobreviveu ao maior genocídio da história e seu testemunho permanece atual. Veja como ele revela a forma como a liberdade foi sendo tirada aos poucos e não repentinamente. Aperte o play e confira o depoimento de Marian Turski aos 75 anos.

O que você vai encontrar neste artigo?

  1. O que podemos aprender com isso?
  2. Vemos a liberdade sendo cerceada dia após dia.
  3. Convocação 
  4. Conheça a Brasil Paralelo

O que podemos aprender com isso?

Provavelmente você já conhece o nosso trabalho e entende o impacto do nosso conteúdo no debate público.

1 a cada 10 brasileiros já teve contato com alguma das nossas produções.

Muitas dessas pessoas não conheciam a história do país em que viviam,  tampouco entendiam sobre política, economia e filosofia.

Acreditamos que para alcançarmos o Brasil que tanto almejamos, a mudança deve começar pela educação do indivíduo.

Todos estão fartos de sempre ouvir promessas que nunca se concretizam. 

Nosso tão amado país anda há décadas na contramão. 

A educação piorou, a segurança acabou e a economia segue cada vez mais instável.

Chegou a hora de mudar e nós estamos na linha de frente.

Só que a cada dia que passa, mais arriscado fica seguirmos com o nosso trabalho.


Vemos a liberdade sendo cerceada dia após dia.

Mas mesmo assim nós não recuamos.

Lançamos em 2020 o documentário “Os Donos da Verdade”, jogando luz ao problema da restrição da liberdade de expressão. 

Sabíamos que não seria uma tarefa fácil. Afinal, ser um veículo de mídia independente requer um alto preço a se pagar. 

Falsas acusações e intimidações foram direcionadas ao nosso trabalho.

O objetivo parecia claro: queriam nos calar.

A tentativa de censura que sofremos não é um problema que atinge apenas a Brasil Paralelo. É algo que também impacta a sua vida.

Isso porque silenciar a liberdade de expressão do maior veículo de mídia independente do país é o mesmo que silenciar milhões de vozes como você, que se sentem representadas pelos bons valores, ideias e sentimentos que defendemos. 

Diante do cenário de perda da representatividade dos nossos ideais, nos resta apenas um caminho: lutar por aquilo que vale a pena ser defendido.

Ficar em silêncio não é uma opção.

Fonte:BrasilParalelo


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête