Hoje em dia, os caminhos terrestres, aéreos ou marítimos levam viajantes a qualquer lugar. A tradição vem, é claro, dos tempos da antiga Roma, quando a cidade dos césares era o umbigo do mundo. “No século 1, quando o Império ia da Bretanha (na atual Inglaterra) à Pérsia (no atual Irã), Roma chegou a ter 80 mil quilômetros de estradas”, afirma a historiadora Maria Luiza Corassin, autora dos livros Sociedade e Política na Roma Antiga e A Reforma Agrária na Roma Antiga.

Mas as vias romanas não eram como as atuais, nem seus propósitos eram os mesmos. “Elas não se destinavam ao transporte de pessoas e cargas. Chamadas de cursus publicus, eram muito mais um meio de comunicação, por onde mensageiros levavam ordens de um canto a outro do império”, diz. Segundo Maria Luiza, esse correio era tão eficiente que podia percorrer 270 quilômetros em um dia, marca que não foi superada na Europa até o século 19.

As estradas romanas eram verdadeiros prodígios para a engenharia da época – com pedras e cimento acomodados sobre leitos aplainados e aterrados. As vias eram traçadas sempre em linha reta e passavam por cima de lagos, pântanos e montanhas. As pedras para o calçamento tinha superfícies curvas para facilitar a drenagem, outra novidade para aqueles tempos. Ao largo delas havia postos de parada e descanso para guarnições militares.

Fonte:megacurioso


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête