Você deve ter aprendido nas aulas de História que os egípcios mumificavam seus faraós — entre outras pessoas de cargos importantes — para preservar seus corpos devido a uma crença de que precisariam deles após a morte. No entanto, segundo pesquisadores do Museu da Universidade de Manchester, essa ideia estaria incorreta. Na realidade, as múmias do antigo Egito tinham como objetivo transformar os mortos em divindades.


De onde veio a ideia da preservação dos corpos?

O uso do sal na preparação das múmias contribuiu para a ideia de preservação do corpo. (Fonte: Shutterstock)

O uso do sal na preparação das múmias contribuiu para a ideia de preservação do corpo. (Fonte: Shutterstock)


De acordo com o curador do Museu do Egito e do Sudão, Campbell Price, a confusão sobre a finalidade da mumificação começou com pesquisadores vitorianos que encontraram semelhanças entre as múmias e a preservação de peixes. 

Na Era Vitoriana, a forma de preservar peixes para o consumo humano era manter a carne deles em sal, então quando egiptólogos desse período perceberam que no preparo das múmias também se usava o cloreto de sódio, concluíram que o objetivo era preservar o corpo.

A substância usada pelos egípcios, entretanto, não era apenas sal, mas sim um mineral conhecido como natrão, a mistura de carbonato de sódio, bicarbonato de sódio, cloreto de sódio e sulfato de sódio. Esse composto era abundante nos leitos dos lagos da região do Nilo e era usado tanto na mumificação quanto na limpeza de estátuas de deuses dos templos.

Além da confusão envolvendo o sal, o que deu mais força a essa ideia foi que os vitorianos também acreditavam que os mortos precisavam de seus corpos após a morte. Então, pensar que as múmias eram uma forma de preservação do corpo fazia sentido para os egiptólogos dessa Era.


Real objetivo da mumificação

Os sarcófagos enfeitados também são indícios da busca pela divindade. (Fonte: Shutterstock)

Os sarcófagos enfeitados também são indícios da busca pela divindade. (Fonte: Shutterstock)


Segundo Price, além do natrão, outro material usado nos templos que também estava presente no processo de mumificação é o incenso. Oferecer incenso como presente aos deuses era comum na crença egípcia, por isso ele também era usado nas múmias. A ideia era usar a resina dos incensos no corpo mumificado para torná-lo divino e não para preservá-lo após a morte.

Ainda segundo o pesquisador, a busca pela divindade após a morte também explica por que as múmias eram mantidas em sarcófagos ricamente decorados. Eles seriam uma imagem idealizada da forma divina que aquela múmia iria assumir.

Fonte:megacurioso


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête