O socialismo acredita no Estado como promotor da justiça social, enquanto o capitalismo defende que as pessoas possam se ajustar livremente e irem através de suas relações promovendo o melhor umas às outras em um mercado livre.

Essa é apenas a diferença mais superficial entre os dois. Para saber realmente a diferença entre essas doutrinas, é preciso se aprofundar no tema com a leitura completa deste artigo.

O que você vai encontrar neste artigo?

  1. O que é o Socialismo?
  2. O que é Capitalismo?
  3. Qual a Diferença entre Capitalismo e Socialismo?
  4. História dos Conceitos

O que é o Socialismo?

O socialismo é uma corrente político-econômica que defende a concentração de poder nas mãos do Estado para que ele seja capaz de atenuar as injustiças e os problemas da sociedade. A função do Governo é direcionar os recursos da melhor forma possível, promovendo condições igualitárias e combatendo os possíveis abusos cometidos pelo mercado.

O socialismo enxerga a Igualdade como o seu principal valor e surgiu em oposição ao liberalismo, o qual ganhou bastante força após a Revolução Industrial e a Revolução Francesa.

Assim como o liberalismo, o socialismo tem como a sua base intelectual os autores iluministas.

Jean Jacques-Rousseau é tido como um dos pais do socialismo. O pensador acusava a origem da propriedade privada como a causadora da guerra entre os homens.

O iluminismo acreditava que a razão humana era a chave pela qual os problemas da sociedade deveriam ser resolvidos. Ele incentivava uma crença de que quanto mais racional uma população fosse, menos problemas ela teria.

Colocar a razão humana como um dos fatores mais importante na sociedade fez com que o próprio ser humano passasse a estar no centro de tudo.

Como resultado, essa corrente filosófica acabou influenciando o surgimento de ideologias políticas tal como o liberalismo e o socialismo, as quais incorporaram a noção da razão humana como elemento central na construção de uma sociedade melhor.

Para o socialismo, o Estado deveria ser ocupado por indivíduos que, racionalmente, conseguissem identificar o quão injusto é o sistema capitalista. Essas pessoas seriam capazes de regular a sociedade para atenuar as injustiças.

O socialismo é uma ideologia que coloca as relações econômicas como base de toda a ordem social. No socialismo científico, isso se tornou ainda mais fundamental com a formulação do conceito de materialismo histórico dialético, onde se entende que a realidade precisa ser compreendida sempre a partir da natureza e da história humana, ou seja, daquilo que é material.

Diversos políticos e pensadores defenderam o socialismo ao longo da História, essa é uma das mais influentes correntes políticas existentes.


O que é Capitalismo?

O capitalismo é um sistema econômico que se baseia no mercado para orientar o valor das coisas.

São três os pilares do capitalismo:

  • economia de mercado;
  • propriedade privada;
  • acúmulo de capital.

O valor de mercado é explicado pela lei da oferta e demanda. Oferta é a quantidade disponível de um produto para vender, e demanda é quantas pessoas desejam comprá-lo. 

A Lei da Oferta e Demanda, que é a base da economia de mercado, implica que quanto menos oferta e mais desejo, mais valoroso um item é, agora, o inverso também é verdadeiro.

A água de coco é um produto muito consumido no Brasil e pode servir de exemplo para a tese da oferta e demanda.

Um coco vendido no inverno nas praias de Copacabana tende a ser mais barato que o mesmo coco vendido no verão. Isso se dá porque no verão existirá uma grande demanda por coco, muita gente vai querer comprar o produto, daí o preço sobe.

Já no inverno, quase ninguém vai querer, por isso o comerciante precisa baixar o preço para conseguir vender.

Agora, a quantidade de cocos disponíveis também altera o preço. Em temporadas onde muitos cocos estão sendo colhidos, isso contribui para que o preço do coco diminua. Já em temporadas onde poucos cocos são colhidos, isso sobe o valor do produto.

A oferta e demanda é como se fosse uma balança que vai definindo e ajustando o preço dos produtos.

Para existir um mercado saudável, é preciso que exista o direito à propriedade, esse é outro pilar do capitalismo.

Direito à propriedade é a crença de que todas as pessoas podem possuir alguma coisa e esse direito não pode ser violado a não ser em virtude da lei. Isso leva a um terceiro ponto desse tripé que explica o capitalismo, o lucro.

Um dos fundamentos do capitalismo é o acúmulo de capital. O acúmulo de capital se dá pelo lucro, quando o dinheiro investido cresce à medida do tempo e permite à pessoa comprar mais e mais coisas.

João é um vendedor de sapatos que tem uma pequena máquina que produz calçados. À medida que vende muitos pares, seu ganho pela venda do seu produto se torna maior do que o dinheiro que investiu inicialmente em sua produção.

Essa diferença é o lucro que João conseguiu. O produtor de sapatos pode ainda investir esse lucro em mais máquinas, ou em máquinas melhores, o que pode escalar seu negócio e gerar mais lucro.

Shopping Center - capitalismo
Shopping Center, uma das representações do livre mercado.

O capital de João é formado por suas máquinas e o dinheiro que gera em sua produção. Capital e lucro são dois conceitos importantes para entender o que é capitalismo.

Adam Smith, um dos maiores pensadores da história da economia e considerado pai do liberalismo, diria que João vende sapatos para suprir as suas próprias necessidades e buscar o seu próprio interesse.

O cliente compra os sapatos pois precisa deles para suprir as suas necessidades ou de alguém que ele gosta. O cliente está defendendo o seu próprio interesse, assim como o sapateiro. No final, mesmo com cada um pensando em seus interesses, ambos se ajudam. 

Não é da benevolência do açougueiro, do cervejeiro e do padeiros que esperamos o nosso jantar, mas da consideração que eles têm pelos próprios interesses.” Adam Smith em A Riqueza das Nações

Para Smith, o capitalismo é tão bem-sucedido porque dá a liberdade para as pessoas buscarem os seus próprios interesses e lucros. O lucro é obtido à medida que uma pessoa é capaz de resolver o problema da outra com algum bem ou serviço.

A partir dessa definição de capitalismo, é preciso investigar o seu passado. A depender do país e época, o sistema foi definido ou funcionou de maneiras diferentes.


Qual a Diferença entre Capitalismo e Socialismo?

Para comparar o socialismo e o capitalismo é necessário entender que:

  • O capitalismo é um sistema econômico que não tem um corpo político-doutrinário claro, sua principal manifestação ideológica é a doutrina do liberalismo.
  • O socialismo possui uma ampla diversidade teórica. A teoria mais utilizada hoje em dia é a corrente do marxismo-leninismo. Essa corrente não entende o socialismo como um sistema suficiente em si, mas sim como uma transição para o comunismo.

Portanto, ao comparar esses dois regimes é preciso ter em mente essa diferenciação. Deve-se entender o socialismo como aquele baseado no marxismo-leninismo, e o capitalismo baseado nas doutrinas liberais.

As principais diferenças entre capitalismo e socialismo podem ser resumidas nos seguintes pontos:

  • papel do Estado na economia;
  • importância da propriedade privada;
  • definição dos valores fundamentais;
  • história do conceito;
  • você sabia que existem diferentes tipos de socialismo? 

Papel do Estado na Economia

O capitalismo e o socialismo possuem uma diferença conceitual radicalmente oposta quando o assunto é o papel do Estado na economia. O capitalismo acredita que o mercado deve sofrer o menor número de intervenções possíveis para que ele possa se autorregular.

O Estado só deve agir pontualmente para corrigir eventuais distorções e impedir flagrantes abusos.

O socialismo defende que o Estado deve ser o protagonista da economia, ele precisa agir de maneira a guiar o mercado para que ele funcione bem e sem cometer injustiças.

Para os teóricos socialistas, o Estado é aquele que planeja a economia para que ela se desenvolva até um determinado objetivo que é a abolição do Estado e do mercado com a implementação do comunismo.


Importância da Propriedade Privada

No capitalismo a propriedade privada é considerada algo inviolável, exceto em virtude da lei em casos extremos, e não há uma limitação para que as pessoas possam acumulá-la. Essa propriedade vai para além do material, sendo expandida para a propriedade intelectual.

Por exemplo, um compositor de uma música é o dono dela e tem direitos de propriedade sobre seu uso. O direito à propriedade do cidadão é um dos valores mais importantes no capitalismo.

O socialismo tolera a propriedade privada enquanto o período de transição para o comunismo, mas entende que quando o objetivo final for atingido, ela não mais existirá. 

Para o socialismo, a justiça social e o bem coletivo são mais importantes do que o direito à propriedade e por isso ele pode ser violado ou relativizado se isso for feito em defesa do bem comum.

Essa diferença ficou clara com a mudança de governo em Cuba quando ela passou a ser socialista, onde hotéis e cassinos, antes pertencentes a empresários, foram estatizados, passando assim a pertencer ao governo. Isso seria algo inconstitucional nos Estados Unidos que é a maior representação de um país capitalista.


Definição dos Valores Fundamentais

Toda ideologia política possui uma essência, aqueles valores que são considerados os mais fundamentais e são dificilmente negociáveis. Isso é feito pela tradição histórica dos intelectuais desse espectro político.

Alguns teóricos marcantes do capitalismo são:

  • Adam Smith; 
  • David Ricardo;
  • Robert Solow;
  • Ludwig Von Mises;
  • Milton Friedman; 
  • John Maynard Keynes.

É muito importante saber que toda categorização tem um nível de imperfeição. Por mais que todos os pensadores citados acima tenham sido fundamentais para o desenvolvimento do capitalismo, eles têm divergências entre si.

John Maynard Keynes, por exemplo, desenvolve a teoria de como o Estado poderia ser o motor de um desenvolvimento econômico respeitando os valores capitalistas. Enquanto Ludwig Von Mises acreditava que esse nível de intervenção na economia é ruim.

São os três principais valores do capitalismo:

  • direito à propriedade privada;
  • liberdade;
  • busca pela felicidade.

Pelo fato do socialismo ser um espectro amplo que abarca diferentes contextos históricos, a visão desses pensadores se diferem principalmente no campo político.

Enquanto Lenin liderou a revolução comunista na Rússia, Paul Howard Douglas era um político americano em plena Guerra Fria.

Alguns teóricos marcantes do socialismo são:

  • Karl Marx;
  • Friedrich Engels;
  • Lenin;
  • Paul Howard Douglas;
  • Piero Sraffa;
  • Gunnar Myrdal.

São os três principais valores do socialismo:

  • igualdade;
  • segurança;
  • bem comum.

História dos Conceitos

Assim como tudo na vida, os conceitos políticos possuem um processo histórico, ou seja, eles se transformaram ao longo do tempo. Falar de capitalismo hoje em dia não é a mesma coisa que falar de capitalismo no século XIX, e o mesmo vale para o socialismo.

Por isso, uma das diferenças mais fundamentais entre as duas ideologias é o processo histórico que as formaram.

Mesmo ambas tendo como ponto de transformação mais marcante o iluminismo, elas absorveram essa influência e seguiram caminhos diferentes. É preciso estudar e se aprofundar na história de cada um.


Capitalismo ou Socialismo: qual é melhor?

Tanto o regime socialista quanto o capitalista possuem uma gama muito grande de apoiadores e críticos, por isso a resposta de qual é melhor irá variar de acordo com quem for responder. Para que um estudioso possa definir isso ele precisa analisar três pontos de cada doutrina:

  • teoria: as principais obras e ideias da doutrina;
  • discurso: o que os principais políticos e militantes daquela ideologia dizem no debate público;
  • prática: o que esses políticos, intelectuais e militantes de fato fazem, como eles se comportam e qual a forma que atuam.

Analisar esses três pontos fará com que a sua escolha esteja pautada em algo real e concreto, não ficando apenas no campo das ideias.

É muito comum que pensadores liberais e conservadores critiquem o socialismo por ter uma teoria bonita e fazer grandes promessas, mas na prática gerarem apenas fome e miséria.

Um desses grandes críticos é o psicólogo e professor de Havard, Jordan Peterson. Depois de se formar, ele viajou para Europa onde se aprofundou em estudos sobre o que pensavam as pessoas que apoiaram e defenderam os regimes totalitários como o comunismo.

Peterson é um dos intelectuais mais marcantes da atualidade, autor de best sellers e seguido por milhões nas redes sociais.

A sua fama não vem apenas dessas suas pesquisas, mas também da coragem com a qual ele tocou em temas polêmicos e desafiou o senso comum.

Fonte:brasilparalelo


Até mais!

Equipe Tête-à-Tête