Busca

TÊTE-À-TÊTE

Ampliando conhecimentos

Categoria

literatura

CÂNTICO NEGRO

"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos docesEstendendo-me os braços, e segurosDe que seria bom que eu os ouvisseQuando me dizem: "vem por aqui!"Eu olho-os com olhos lassos,(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)E cruzo os braços,E nunca... Continue lendo →

ALEXANDER PUSHKIN, O REBELDE DA CULTURA RUSSA

Nos meandros da literatura russa, um caso especial. Influenciado pela vaga romancista que assolava o ocidente europeu, eis Alexander Pushkin e o seu estilo jovial e irreverente. Grande parte das suas obras foram alvo de críticas e até de censura,... Continue lendo →

POEMA DO SILÊNCIO

Sim, foi por mim que gritei.Declamei,Atirei frases em volta.Cego de angústia e de revolta. Foi em meu nome que fiz,A carvão, a sangue, a giz,Sátiras e epigramas nas paredesQue não vi serem necessárias e vós vedes. Foi quando compreendiQue nada... Continue lendo →

COMO NASCE A POESIA, NAS PALAVRAS DE EDGAR ALLAN POE

No ensaio Filosofia da Composição (1846), o escritor norte-americano Edgar Allan Poe desnuda o percurso da criação poética, servindo-se do seu célebre poema “O Corvo” – “The Raven” na língua original – como meio para explicar a criação artística. Refletindo sobre as... Continue lendo →

O QUE FRANZ KAFKA E ALBERT CAMUS NOS ENSINARAM?

Franz Kafka foi um daqueles que viu mais longe. Não foi dos poucos mas foi um distinto. Tão distinto que até o seu nome virou adjetivo. Tudo aquilo que se liga ao absurdo, ao estapafúrdio, ao insólito, diz respeito ao... Continue lendo →

VERSO – SAIBA MAIS!

O verso corresponde a cada uma das linhas formam um poema. Já a estrofe é um conjunto de versos com sentido completo. O verso é o elemento que define a poesia, por oposição à prosa. Versos livres (irregulares) são aqueles que não possuem... Continue lendo →

…TALVEZ

[...] talvez porque para as outras vocações eu precisaria de um longo aprendizado, enquanto que para escrever o aprendizado é a própria vida se vivendo em nós e ao redor de nós. É que não sei estudar. E, para escrever,... Continue lendo →

O MISTICISMO DO POETA RUMI

Enquanto a Idade Média, a ocidente, se professava a partir dos mosteiros e dos conventos, mais a oriente, eram outras as expressões que predominavam. Para além da Idade de Ouro na Índia e no Médio Oriente, da qual fez parte,... Continue lendo →

A REALIDADE NÃO ME SURPREENDE

A realidade não me surpreende. Mas não é verdade; de repente tenho uma tal fome de «coisa acontecer mesmo» que mordo num grito a realidade com os dentes dilacerantes. E depois suspiro sobre a presa cuja carne comi. E por... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑