Busca

TÊTE-À-TÊTE

Ampliando conhecimentos

Tag

poesias

Ó JULIANO APÓSTATA, QUE LAÇO.

Ó Juliano Apóstata, que laçoÉ esse que me prende a quem tu foste,Imperador sombrio e calmo, quemÉ que em nós ambos é o mesmo alguém?Porque sinto eu teu gesto no meu braçoNa m[inha] vida tua morte. Quem foste tu, que... Continue lendo →

AH O CREPÚSCULO, O CAIR DA NOITE, O ACENDER DAS LUZES NAS GRANDES CIDADES

Ah o crepúsculo, o cair da noite, o acender das luzes nas grandes cidades E a mão de mistério que abafa o bulício,E o cansaço de tudo em nós que nos corrompePara uma sensação exacta e precisa e activa da... Continue lendo →

TUDO O QUE FAÇO OU MEDITO

Tudo que faço ou meditoFica sempre na metade.Querendo, quero o infinito.Fazendo, nada é verdade. Que nojo de mim me ficaAo olhar para o que faço!Minha alma é lúcida e rica,E eu sou um mar de sargaço – Um mar onde... Continue lendo →

AUTO DOS BACANTES

Qual é, senhor, a melhor sorte?Mais vale a vida ou mais querer?Há, além do portal da morte,Melhor viver?Será melhor viver amandoE buscar o amor entre a vida,Ou, inda que chorando,Buscar o amorOnde tudo é a sombra e o vago,E o... Continue lendo →

TODO O MUNDO DE SERES E RELAÇÕES

O mistério do mundo,O íntimo, horroroso, desolado,Verdadeiro mistério da existência,Consiste em haver esse mistério.... Não é a dor de já não poder crerQue m’oprime, nem a de não saber,Mas apenas completamente o horrorDe ter visto o mistério frente a frente,De... Continue lendo →

PREFIRO ROSAS, MEU AMOR, À PÁTRIA

Prefiro rosas, meu amor, à pátria,E antes magnólias amoQue a glória e a virtude. Logo que a vida me não canse, deixoQue a vida por mim passeLogo que eu fique o mesmo. Que importa àquele a quem já nada importaQue... Continue lendo →

ACORDO DE NOITE, MUITO DE NOITE, NO SILÊNCIO TODO

Acordo de noite subitamente.E o meu relógio ocupa a noite toda.Não sinto a Natureza lá fora,O meu quarto é uma coisa escura com paredes vagamente brancas.Lá fora há um sossego como se nada existisse.Só o relógio prossegue o seu ruído.E... Continue lendo →

LIBERDADE – FERNANDO PESSOA

Ai que prazerNão cumprir um dever,Ter um livro para lerE não o fazer!Ler é maçada,Estudar é nada.O sol doiraSem literatura.O rio corre, bem ou mal,Sem edição original.E a brisa, essa,De tão naturalmente matinal,Como tem tempo não tem pressa... Livros são... Continue lendo →

SIM, SEI BEM – FERNANDO PESSOA

Sim, sei bemQue nunca serei alguém.Sei de sobraQue nunca terei uma obra.Sei, enfim,Que nunca saberei de mim.Sim, mas agora,Enquanto dura esta hora,Este luar, estes ramos,Esta paz em que estamos,Deixem-me crerO que nunca poderei ser. ... Fernando Pessoa (1888-1935) Até mais!... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑