Busca

TÊTE-À-TÊTE

Ampliando conhecimentos

Tag

poetas

QUEM SABE UM DIA – MÁRIO QUINTANA

Quemsabe um diaQuem sabe um seremosQuem sabe um viveremosQuem sabe um morreremos! Quem é queQuem é machoQuem é fêmeaQuem é humano, apenas! Sabe amarSabe de mim e de siSabe de nósSabe ser um! Um diaUm mêsUm anoUm(a) vida! Sentir primeiro,... Continue lendo →

ESCADA SEM CORRIMÃO – DAVID MOURÃO-FERREIRA

É uma escada em caracol E que não tem corrimão. Vai a caminho do Sol Mas nunca passa do chão. Os degraus, quanto mais altos, Mais estragados estão, Nem sustos nem sobressaltos servem sequer de lição. Quem tem medo não... Continue lendo →

CRESPÚSCULO – DAVID MOURÃO-FERREIRA

É quando um espelho, no quarto,se enfastia;Quando a noite se destacada cortina;Quando a carne tem o travoda saliva,e a saliva sabe a carnedissolvida;Quando a força de vontaderessuscita;Quando o pé sobre o sapatose equilibra...E quando às sete da tardemorre o dia-... Continue lendo →

E POR VEZES AS NOITES DURAM MESES – DAVID MOURÃO-FERREIRA

E por vezes as noites duram mesesE por vezes os meses oceanosE por vezes os braços que apertamosnunca mais são os mesmos. E por vezes encontramos de nós em poucos meseso que a noite nos fez em muitos anosE por... Continue lendo →

EPITÁFIO DE UM POETA – JOSÉ RÉGIO

As asas não lhe cabem no caixão!A farpela de luto não condizCom seu ar grave, mas, enfim, feliz;A gravata e o calçado também não.Ponham-no fora e dispam-lhe a farpela!Descalcem-lhe os sapatos de verniz!Não veem que ele, nu, faz mais figura,Como... Continue lendo →

TESTAMENTO DO POETA – JOSÉ RÉGIO

Todo esse vosso esforço é vão, amigos:Não sou dos que se aceita... a não ser mortos.Demais, já desisti de quaisquer portos;Não peço a vossa esmola de mendigos. O mesmo vos direi, sonhos antigosDe amor! olhos nos meus outrora absortos!Corpos já... Continue lendo →

A MEU FAVOR – ALEXANDRE O’NEILL

A meu favorTenho o verde secreto dos teus olhosAlgumas palavras de ódio algumas palavras de amorO tapete que vai partir para o infinitoEsta noite ou uma noite qualquer A meu favorAs paredes que insultam devagarCerto refúgio acima do murmúrioQue da... Continue lendo →

HÁ PALAVRAS QUE NOS BEIJAM – ALEXANDRE O’NEILL

Há palavras que nos beijamComo se tivessem boca,Palavras de amor, de esperança,De imenso amor, de esperança louca. Palavras nuas que beijasQuando a noite perde o rosto,Palavras que se recusamAos muros do teu desgosto. De repente coloridasEntre palavras sem cor,Esperadas, inesperadasComo... Continue lendo →

ALMA LUZ – CLARICE LISPECTOR

MINHA ALMA TEM O PESO DA LUZTEM O PESO DA MÚSICATEM O PESO DA PALAVRA NUNCA DITA,PRESTES QUEM SABE A SER DITATEM O PESO DE UMA LEMBRANÇATEM O PESO DE UMA SAUDADETEM O PESO DE UM OLHARPESA COMO PESA UMA... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑