Busca

TÊTE-À-TÊTE

Ampliando conhecimentos

Tag

poetisas

AMIGA

Deixa-me ser a tua amiga, Amor;A tua amiga só, já que não queresQue pelo teu amor seja a melhorA mais triste de todas as mulheres. O que me importa a mim?! O que quiseresÉ sempre um sonho bom! Seja o... Continue lendo →

A HARMONIA SECRETA DA DESARMONIA – LISPECTOR

A harmonia secreta da desarmonia: quero não o que está feito mas o que tortuosamente ainda se faz. Minhas desequilibradas palavras são o luxo de meu silêncio. Escrevo por acrobáticas aéreas piruetas - escrevo por profundamente querer falar. Embora escrever... Continue lendo →

ENCOMENDA – CECÍLIA MEIRELES

Desejo uma fotografiacomo esta — o senhor vê? — como esta:em que para sempre me riacomo um vestido de eterna festa.Como tenho a testa sombria,derrame luz na minha testa.Deixe esta ruga, que me emprestaum certo ar de sabedoria.Não meta fundos... Continue lendo →

A TURBULÊNCIA VIVIDA E SENTIDA POR SYLVIA PLATH

Pese embora as dificuldades emocionais e mentais com as quais se deparou, Sylvia Plath afirmou-se como um dos grandes nomes da literatura do século XX. Tanto numa extensão textual em que os parágrafos dominavam como noutra em que as estrofes... Continue lendo →

PRECE

Que nenhuma estrela queime o teu perfilQue nenhum deus se lembre do teu nomeQue nem o vento passe onde tu passas. Para ti eu criarei um dia puroLivre como o vento e repetidoComo o florir das ondas ordenadas. ... Sophia... Continue lendo →

DAI-ME A CASA VAZIA

Dai-me a casa vazia e simples onde a luz é preciosa. Dai-me a beleza intensa e nua do que é frugal. Quero comer devagar e gravemente como aquele que sabe o contorno carnudo e o peso grave das coisas.Não quero... Continue lendo →

BEBIDO O LUAR

Bebido o luar, ébrios de horizontes,Julgamos que viver era abraçarO rumor dos pinhais, o azul dos montesE todos os jardins verdes do mar. Mas solitários somos e passamos,Não são nossos os frutos nem as flores,O céu e o mar apagam-se... Continue lendo →

A HORA DA PARTIDA

A hora da partida soa quandoEscurece o jardim e o vento passa,Estala o chão e as portas batem, quandoA noite cada nó em si deslaça. A hora da partida soa quandoas árvores parecem inspiradasComo se tudo nelas germinasse. Soa quando... Continue lendo →

INSCRIÇÃO

Quando eu morrer voltarei para buscarOs instantes que não vivi junto do mar. ... Sophia de Mello Breyner Andresen (1919-2004) Até mais! Equipe Tête-à-Tête

…TALVEZ

[...] talvez porque para as outras vocações eu precisaria de um longo aprendizado, enquanto que para escrever o aprendizado é a própria vida se vivendo em nós e ao redor de nós. É que não sei estudar. E, para escrever,... Continue lendo →

A DOIDA

A Noite passa, noivando.Caem ondas de luar.Lá passa a doida cantandoNum suspiro doce e brandoQue mais parece chorar! Dizem que foi pela morteD"alguém, que muito lhe quis,Que endoideceu. Triste sorte!Que dor tão triste e tão forte!Como um doido é infeliz!... Continue lendo →

NÃO SER

Ah! arrancar às carnes laceradasSeu mísero segredo de consciência!Ah! poder ser apenas florescênciaDe astros em puras noites deslumbradas! Ser nostálgico choupo ao entardecer,De ramos graves, plácidos, absortosNa mágica tarefa de viver! Quem nos deu asas para andar de rastos?Quem nos... Continue lendo →

LANGUIDEZ

Fecho as pálpebras roxas, quase pretas,Que poisam sobre duas violetas,Asas leves cansadas de voar... E a minha boca tem uns beijos mudos...E as minhas mãos, uns pálidos veludos,Traçam gestos de sonho pelo ar... ... Florbela Espanca (1894-1930) Até mais! Equipe... Continue lendo →

SUAVÍSSIMA

Os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .No céu de outono, anda um langor final de plumaQue se desfaz por entre os dedos, vagamente . . . Os galos cantam, no crepúsculo dormente . . .Tudo se apaga, e... Continue lendo →

NADADOR

O que me encanta é a linha aladadas tuas espáduas, e a curvaque descreves, passáro da água! É a tua fina, ágil cintura,e esse adeus da tua gargantapara cemitérios de espuma! É a despedida, que me encanta,quando te desprendes ao... Continue lendo →

ANDAR?! NÃO ME CUSTA NADA!

Andar?! Não me custa nada!... Mas estes passos que dou Vão alongando uma estrada Que nem sequer começou. Andar na noite?!Que importa?... Não tenho medo da noite Nem medo de me cansar: Mas na estrada em que vou, Passo sempre... Continue lendo →

CREIO NOS ANJOS QUE ANDAM PELO MUNDO

Creio nosanjos que andam pelo mundo,Creio na Deusa com olhos de diamantes,Creio em amores lunares com piano ao fundo,Creio nas lendas, nas fadas, nos atlantes, Creio num engenho que falta mais fecundoDe harmonizar as partes dissonantes,Creio que tudo eterno num... Continue lendo →

ALMA LUZ – CLARICE LISPECTOR

MINHA ALMA TEM O PESO DA LUZTEM O PESO DA MÚSICATEM O PESO DA PALAVRA NUNCA DITA,PRESTES QUEM SABE A SER DITATEM O PESO DE UMA LEMBRANÇATEM O PESO DE UMA SAUDADETEM O PESO DE UM OLHARPESA COMO PESA UMA... Continue lendo →

EU – FLORBELA ESPANCA

Eu sou a que no mundo anda perdida,Eu sou a que na vida não tem norte,Sou a irmã do Sonho, e desta sorteSou a crucificada... a dolorida... Sombra de névoa tênue e esvaecida,E que o destino amargo, triste e forte,Impele... Continue lendo →

NÃO SER – FLORBELA ESPANCA

Ah! arrancar às carnes laceradasSeu mísero segredo de consciência!Ah! poder ser apenas florescênciaDe astros em puras noites deslumbradas! Ser nostálgico choupo ao entardecer,De ramos graves, plácidos, absortosNa mágica tarefa de viver! Quem nos deu asas para andar de rastos?Quem nos... Continue lendo →

OS VERSOS QUE TE FIZ – FLORBELA ESPANCA

Deixa dizer-te os lindos versos rarosQue a minha boca tem pra te dizer!São talhados em mármore de ParosCinzelados por mim pra te oferecer. Têm dolência de veludos caros,São como sedas pálidas a arder...Deixa dizer-te os lindos versos rarosQue foram feitos... Continue lendo →

MULHER AO ESPELHO – CECÍLIA MEIRELES

Hoje que seja esta ou aquela,pouco me importa.Quero apenas parecer bela,pois, seja qual for, estou morta. Já fui loura, já fui morena,já fui Margarida e Beatriz.Já fui Maria e Madalena.Só não pude ser como quis. Que mal faz, esta cor... Continue lendo →

POR QUE ME FALAS NESSE IDIOMA? CECÍLIA MEIRELES

Por que me falas nesse idioma? perguntei-lhe, sonhando.Em qualquer língua se entende essa palavra.Sem qualquer língua.O sangue sabe-o.Uma inteligência esparsa aprendeesse convite inadiável.Búzios somos, moendo a vidainteira essa música incessante.Morte, morte.Levamos toda a vida morrendo em surdina.No trabalho, no amor,... Continue lendo →

SOBRE A NEVE – FLORBELA ESPANCA

Sobre mim, teu desdém pesado jazComo um manto de neve... Quem disseraPorque tombou em plena PrimaveraToda essa neve que o Inverno traz! Coroavas-me inda há pouco de lilásE de rosas silvestres... quando eu eraAquela que o Destino prometeraAos teus rútilos... Continue lendo →

SOU – LISPECTOR

… assombrada pelos meus fantasmas,pelo que é mítico e fantástico– a vida é sobrenatural.E eu caminho em corda bamba até o limite de meu sonho.As vísceras torturadas pela voluptuosidadeGuiam-me, fúria dos impulsos. Antes de me organizartenho que me desorganizar internamente.Para... Continue lendo →

SONHE – LISPECTOR

Seja o que você quer ser,porque você possui apenas uma vida e nela só se tem uma chancede fazer aquilo que quer. Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.Dificuldades para fazê-la forte.Tristeza para fazê-la humana.E esperança suficiente para fazê-la feliz. As... Continue lendo →

NÃO TE AMO MAIS – LISPECTOR

Não te amo mais.Estarei mentindo dizendo queAinda te quero como sempre quis.Tenho certeza queNada foi em vão.Sinto dentro de mim queVocê não significa nada.Não poderia dizer jamais queAlimento um grande amor.Sinto cada vez mais queJá te esqueci! E jamais usarei... Continue lendo →

TIMIDEZ – CECÍLIA MEIRELES

Basta-me um pequeno gesto,feito de longe e de leve,para que venhas comigoe eu para sempre te leve.... - mas só esse eu não farei. Uma palavra caídadas montanhas dos instantesdesmancha todos os marese une as terras mais distantes... - palavra... Continue lendo →

MOTIVO – CECÍLIA MEIRELES

Eu canto porque o instante existee a minha vida está completa.Não sou alegre nem sou triste:sou poeta. Irmão das coisas fugidias,não sinto gozo nem tormento.Atravesso noites e diasno vento. Se desmorono ou se edifico,se permaneço ou me desfaço,- não sei,... Continue lendo →

SEM REMÉDIO – FLORBELA ESPANCA

Aqueles que me têm muito amorNão sabem o que sinto e o que sou...Não sabem que passou, um dia, a DorÀ minha porta e, nesse dia, entrou. E é desde então que eu sinto este pavor,Este frio que anda em... Continue lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑